29 January 2015

Arranjo de Flores à la Bollywod :: Bollywood-Style Flower Arrangement


Nesta casa onde agora vivemos, tivemos a sorte de ter herdado um jardim já plenamente estabelecido e cheio de flores diferentes. A antiga dona da casa fartou-se de plantar flores de que gosto imenso, como rosas antigas e sardinheiras perfumadas, mas também escolheu algumas flores que não são bem o meu género — o que é perfeitamente normal, não temos de ter todos os mesmos gostos! Aliás, até tem graça porque assim tenho oportunidade para mexer em flores que nunca teria escolhido à partida, e tentar fazer algo que me agrade com elas. Sair da nossa zona de conforto é sempre positivo, não acham?

In our current house we've been lucky enough to inherited a fully established garden filled with exciting flowers. The previous owner planted loads of flowers I absolutely love, like old-fashioned roses and scented pelargoniums, but she also planted ones that aren't exactly my style — which is fine, of course, as we don't all have to have the same taste! It's actually a fun challenge to have access to flowers I wouldn't have chosen myself, and try to make them work. Getting out of one's comfort zone is a good thing, right?


Então o que fazer com flores de que não gostamos? Deixá-las morrer no canteiro? Isso é que não! Por exemplo, não sou grande fã destas dálias encarnadas e cor-de-laranja (gosto de outro tipo de dálias, mas estas cores não me convencem). Mas estava decidida a fazer alguma coisa com elas, por isso dei uma volta pelo jardim e apanhei outras flores e folhas que as complementassem, que puxassem pelas cores e formas destas dálias, de maneira a pôr em evidência o seu melhor.

So what to do with the flowers one doesn't love? Leave them to die in the garden? Of course not! For example, I'm not a big fan of these red and orange dahlias (something to do with the colours... I do like other types of dahlias) but I was decided to make something with them. So I strolled around the garden and picked a few things that would complement them — things that would make the dahlias pop.






Escolhi cores-de-rosa fortes e verdes-ácidos, assim como cabeças de papoilas e outras flores que ainda não estavam completamente formadas. Misturei tudo dentro de uma caneca de estanho e, quando dei por mim, tinha um arranjo bem ao estilo Bollywood!

I chose bright pinks and acid greens, along with some seed pods and a few immature flowers. I mixed it all in a pewter mug and suddenly I had created a Bollywood-style arrangement!




À laia de conclusão: quando não gostamos de alguma coisa, muitas vezes a melhor maneira de fazer com que ela resulte é chamar a atenção para ela, em vez de tentar escondê-la. Uhm... isto é capaz de ser uma tirada demasiado profunda para um simples arranjo de flores!

My conclusion is, when you don't like something, sometimes the best way to make it work is by drawing attention to it, instead of trying to hide it. Mmmm... that's quite a statement considering we're talking about a simple flower arrangement!

(photos: © Constança Cabral)

22 January 2015

Lullaby Layette Bodysuit





Gosto de ir mantendo o blog relativamente diversificado, mas ultimamente só me apetece coser! Já percebi que gosto muito mais de coser no Verão do que no Inverno e tenho sentido uma enorme urgência em fazer roupa para o Pedro. Como já aqui disse, agora sei como este primeiro ano passa depressa e esta é a minha oportunidade de lhe fazer coisas de bebé... daqui a um ano já será um rapazinho e a roupa dos rapazes não é muito variada. Sorte a das mães que cosem para raparigas!... Hoje vou falar-vos neste fatinho que fiz para ele.

1. Molde
Lullaby Layette Bodysuit, mais uma vez da marca Oliver + S (sem dúvida, os meus moldes preferidos). Este molde inclui também umas calças, uma camisa e um casaco, mas aquilo que me fez comprá-lo foi o bodysuit. Gosto muito de bebés vestidos com peças inteiras: acho que não há nada mais prático e, por mais que se mexam, continuam sempre com tudo no sítio.

2. Tamanho
O Pedro tem 5 meses e meio, por isso escolhi o tamanho 6-12 meses, mas o fatinho já está pequeno. Já me tinha apercebido de que o Rodrigo é, tal como eu, comprido de tronco, e pelos vistos o Pedro é igual. Vou experimentar alterar o molde, de forma a acrescentar-lhe apenas comprimento na zona da barriga. 

3. Tecido
Usei um algodão fino mas bastante "crisp" (como hei-de descrever em português o toque do tecido? É suave mas com bastante corpo, assim como um tecido de camisa). Não me lembro onde o comprei, acho que foi em Staffordshire, numa loja de tecidos que tinha imensos retalhos a óptimos preços. 

4. Alterações
Em primeiro lugar, usei botões em vez de molas de pressão. Na parte de baixo correu tudo bem, mas na carcela tive alguns problemas — devo-me ter enganado a medir os botões de pé e as casas ficaram pequenas. Pequeno detalhe: só me apercebi disso depois de as ter aberto! Como é que dei a volta à situação? Descosi-as e fiz umas maiores. Achei que não perderia nada em tentar.. e não é que correu bem?

Outra pequena alteração que fiz foi engomar o macho nas costas de maneira a que ficasse aberto a meio (inverted box pleat), em vez de o ter tombado para o lado, como diziam as instruções. Ah, também cosi os lados com costuras inglesas (tenho mesmo de fazer um post sobre esta técnica de que gosto tanto) e não segui as instruções para debruar o colarinho, porque prefiro coser primeiro a fita de viés pelo avesso, para depois a pespontar pelo direito.

5. Notas finais
Este molde é impecável mas a minha execução não foi das melhores, sobretudo porque tive o Rodrigo sempre em cima de mim (ver fotografia abaixo).

Acho que o molde é facilmente personalizável e apetece-me experimentar uma série de versões diferentes. Fiz uns esboços rápidos das minhas ideias (não liguem à minha falta de jeito):   acrescentar uma gola redonda, um colarinho à Mao ou até uma gola franzida de bordado inglês; tentar manipular as pregas, de maneira a eliminá-las, ou transformá-las em pequenas pinças ou mesmo substituí-las por smocks; passar a abertura para trás;  fazê-lo numa malha às riscas estilo bretão. Será que vou ter tempo para tudo isto? 



I like to keep the blog relatively diversified but lately all I want to do is sew. Over the years I've realised that I enjoy sewing much more in summer than winter, and lately I've been feeling a great urgency in sewing clothes for Pedro. As I've said before, now I know how quickly this first year goes by and this is my chance to make him baby-ish things... next year he'll be a little boy and boys clothes isn't all that varied. How lucky are the mothers who sew for girls?... Today I'm going to tell you about this little romper suit I made for him.

1. Pattern
Lullaby Layette Bodysuit, again by Oliver + S (my favourite patterns, without a doubt). This pattern also includes a shirt, a jacket and a pair of trousers, but what prompted me to buy it was the bodysuit. I love babies dressed in one-piece garments: it's so practical and no matter how much they wriggle, their clothes are always tucked in nicely. 

2. Sizing
Pedro is now 5 and a half months so I cut size 6-12 months... but unfortunately the bodysuit is already too small. Apparently, Pedro — just like Rodrigo and I — has a long torso. I'm going to try to alter the pattern by lengthening it slightly in the belly area.

3. Fabric
I used a fine but crisp cotton that I think I bought in Staffordshire, at a fabric shop that used to sell lots of well-priced remnants.

4. Alterations
To start with, I used buttons instead of snaps. In the nappy area everything went fine but I encountered a major problem in the placket — I must have measured the shank buttons incorrectly and the buttonholes turned out much too small. Minor detail: I only realised they were too small after I opened them! So what did I do? I unstitched them and then I stitched longer ones. I figured I had nothing to loose and it actually worked!

The other small alteration I made was to press the pleat in the back as an inverted box pleat, instead of pressing it to one side as the instructions said. Oh and I used French seams for the sides and I didn't really follow the steps for binding the collar because I like to sew the bias tape on the wrong side first and then topstitch it on the right side.

5. Final notes
This is an impeccable pattern but my execution wasn't exactly top notch, mainly because I had Rodrigo on my lap (and on the table) most of the time (see above picture).

This is a very customisable pattern and I'm urging to try it in lots of different versions. I made a quick sketch of my ideas (please disregard my poor illustration skills): adding a collar (Peter Pan, Mao or just a ruffled broderie anglaise edging); trying to manipulate the pleats in order to either eliminate them or replace them with small pin tucks or smocking; making the placket in the back; sewing it in breton-style knit. Will I have enough time to try all this?

(photos: © Constança Cabral)

20 January 2015

Refashion Week :: From Shirts to Shorts






A Magda desafiou-me para participar na Refashion Week, juntamente com uma série de outras bloggers, todas elas portuguesas! Qual foi a primeira coisa em que pensei? Aproveitar camisas, claro! 

Com a chegada do Verão, o Rodrigo estava a precisar de pijamas frescos. À semelhança daquilo que fiz há dois anos, aproveitei camisas do meu pai e do Tiago para fazer-lhe quatro pares de calções, mas desta vez usei um molde diferente: os Sunny Day Shorts do Oliver + S. 

O molde é gratuito mas não deixa de ser impecável (os moldes Oliver + S são irrepreensíveis). As únicas alterações que fiz foram: 1- coser tudo com costuras inglesas e 2- arredondar um bocado a frente dos calções, porque o gancho era demasiado grande e fazia uma espécie de fole. Usei o tamanho 4 anos para o Rodrigo, que vai fazer 3 anos daqui a um mês (o primeiro par que fiz — e que não fotografei — foi com o tamanho 3 anos e achei que estavam bons agora, mas não serviriam daqui a seis meses... e quero que os calções voltem a ser usados durante o Verão português).

Dá gosto fazer costuras assim! Hoje em dia acho que ninguém cose para poupar dinheiro, mas este projecto é daqueles em que só se gasta linha, electricidade e tempo. E é tão bom vê-lo a usar calções confortáveis, frescos e com bom corte, e pensar que os fiz com materiais reciclados. 

Como sabem, farto-me de aproveitar camisas de homem — um dia tenho de fazer um post com um apanhado de tudo aquilo que já fiz — porque os tecidos são excelentes e, muito francamente, de graça! Para fazer cada um destes calções usei apenas as costas e uma manga de cada camisa. Com o que sobrou, ainda consegui fazer uns quantos babetes para o Pedro.

Obrigada, Magda, pelo convite para participar na tua série! Para verem mais reciclagens criativas de um grupo de bloggers talentosas, não deixem de visitar o blog ao longo desta semana. E espreitem aquilo que a Maria João fez hoje!




Magda invited me to take part in her Refashion Week, along with a handful of other Portuguese bloggers. What was the first thing that occurred to me when I read her email? Upcycling shirts, of course!

It's been hot around here and Rodrigo was in need of some cool pyjamas. Just like I did two years ago, I turned a bunch of old men's shirts into pj bottoms, but this time I used a different pattern: Oliver + S Sunny Day Shorts.

It's a free pattern but that doesn't mean that it's any less perfect that the other Oliver + S patterns. The only alterations I made were: 1- I French-seamed (is that a verb?) everything; 2- the front was sitting too high and that was causing some odd folds, so I lowered it a bit by cutting a soft rounded line across the front (I eyeballed this). I sewed size 4 for Rodrigo, who's turning 3 next month. I started by sewing size 3 (not pictured here) but even though they were fine for now, I know that in 6 months time they'll no longer fit (and he'll need them for the Portuguese summer).

I find this type of sewing incredibly satisfying. I guess nowadays no-one sews in order to save money but this is one of those projects where you only consume thread, electricity and your time. And it feels great to see your children wearing comfortable, crisp and well-cut clothes that have been made using up recycled materials.

As you know, I'm always upcycling men's shirts — I must to post a round-up of everything I've made so far — because they're a source of great quality fabrics and, let's be honest, it's free fabric! To make each of these shorts I only used the back of the shirt and one sleeve. With the leftovers I made bibs for Pedro!

Thanks, Magda, for inviting me to play along with you. If you'd like to see what the other talented bloggers have created, don't miss Magda's blog updates this week. And check out what Maria João has come up with today!

(photos: © Constança Cabral)

12 January 2015

Por Aqui :: Around Here












Por aqui é Verão. Nuns dias está sol, noutros chove, mas está quase sempre quente e húmido. O Rodrigo esteve de férias e fartou-se de brincar, ver livros, ouvir música, cozinhar, cantar e rir. O Pedro continua a crescer bem, sempre com bom feitio. O nosso jardim está ao rubro e temos comido aquilo que não interessa aos pássaros e aos caracóis (ultimamente framboesas, alfaces e ervas aromáticas).

Gosto muito de ir fotografando alguns momentos do nosso dia-a-dia para depois compor estes posts (que depois suplemento com fotografias do Tiago) mas acho que, de vez em quando, tenho de fazer lembrar que estas imagens só mostram parte da realidade. Não vos mostro a desarrumação crónica, as camas por fazer, as birras do Rodrigo, o nosso cansaço, a confusão instalada na minha cabeça. Aquele almoço com o Rodrigo no jardim, por exemplo, foi sol de pouca dura: ele estava a portar-se tão mal que, passados dois minutos, viemos para dentro de casa. Isso não significa que a fotografia seja falsa — aquele momento aconteceu, sim, mas não durou muito tempo.

Porque é que estou a escrever algo tão óbvio? É que, por vezes, há quem não perceba que o meu blog é uma colecção de momentos felizes, que quero guardar para sempre na minha memória e que gosto de partilhar com as pessoas que me acompanham. É uma partilha virtual, é certo, mas não deixa de ser importante para mim. Se vivêssemos em Lisboa, será que mostraria tantas fotografias dos nossos filhos? Acho que não. Mas moramos longíssimo e custa-me não poder partilhar com outras pessoas a infância dos meus filhos.

Também me perguntam como conseguimos fazer tanta coisa com duas crianças pequenas e quase sem ajuda. A resposta é simples: demoramos imenso tempo a fazer o que quer que seja. O corredor de nossa casa foi pintado em quatro fases, que se prolongaram durante ano e meio, e eu ando há cinco meses para escrever um post sobre o assunto. Se eu gostava de voltar a escrever quatro ou cinco vezes por semana no blog? Claro que sim, mas nesta altura é-me impossível porque simplesmente não tenho tempo.

Tenho muitos planos para 2015, sendo que o mais importante — depois do bem-estar da minha família, claro — é contribuir mais para o orçamento familiar. Tenho algumas ideias que espero conseguir pôr em prática, mas adoraria ouvir as vossas sugestões. Que produtos gostariam que eu lançasse? Se tiverem um bocadinho livre, escrevam as vossas sugestões nos comentários ou, melhor ainda, enviem-mas por email. Muito obrigada!


It's summer around here. Some days it rains, other times the sun shines, but it's almost always hot and humid. Rodrigo's school was closed for a few weeks and he enjoyed himself at home: he played, read books, listened to music, cooked, sang and laughed a lot. Pedro keeps on growing and he's such a happy chap, always in a good mood. Our garden is thriving and we've been eating the things birds and snails don't seem to enjoy too much (lately it's been raspberries, lettuces and herbs).

In order to compose these "around here" posts, I like taking pictures of certain moments in our everyday life and then I supplement them with photos taken by Tiago. However, I feel that, from time to time, I must  remind you that these images are just a part of our reality. I don't show you the constant state of untidiness, the unmade beds, Rodrigo's tantrums, our tiredness or the mess that lives inside my head. For instance, that lunch in the garden with Rodrigo only lasted for two minutes: he was behaving so badly that we quickly came back inside. That doesn't mean that the image is a lie — that moment did happen but it was extremely short-lived.

Why am I stating the obvious? Well, sometimes people don't seem to understand that my blog is a collection of happy moments, moments I want to keep in my memory and moments that I enjoy sharing with others. It's a virtual kind of sharing, for sure, but it's sharing nonetheless. Would I post so many pictures of my children if we lived in Lisbon? I don't think so. But we live incredibly far away from home and I find it hard not being able to share the boys' childhood with anyone.

I'm also asked often how we manage to do so much with two kids and very little help. The answer is simple: it takes us an awfully long time to make anything. Our corridor was painted in four stages over a year and a half and I've been wanting to blog about it for five months now. Would I like to go back to blogging four or five times a week? I would, actually, but right know that's impossible because I simply don't have the time.

I've got lots of things planned for 2015 and the most important one — besides taking care of my family — is to contribute more to the family's finances. I've got a few ideas that I'd love to execute but I'd really like to hear your thoughts on this. What would you like me to offer? If you have a minute, write up some suggestions in the comment section below or, even better, shoot me an email. Thank you very much!

(photos: © Constança Cabral)

08 January 2015

Mulberry Tunic :: An Upcycled Men's Shirt





(do avesso :: inside out)

Estou contentíssima com esta camisa de Verão que fiz para o Rodrigo. Ficou fresca, confortável e, simultaneamente, arranjadinha q.b. Ele também gostou!

1. O molde
Mulberry Tunic da Olga do blog Kid Approved. Este molde tem algumas variações: mangas curtas ou compridas, bolsos e um capuz. É um molde digital (quando o compramos, recebemos um ficheiro PDF por email) e vai dos 18 meses aos 12 anos.


2. A minha versão
Fiz a versão que gastava menos tecido (já vos vou dizer porquê): mangas curtas, sem bolsos nem capuz. Fiz as presilhas das mangas mais curtas (diminuí-lhes 2,5 cm no comprimento) e fiquei rendida às dobras das mangas, que são feitas de uma maneira muito engenhosa. O remate do colarinho não foi cortado em viés — mas sim num ângulo esquisito entre 45º e 90º, porque não havia tecido suficiente —, daí ter ficado um bocadinho ondulado (mas isto é um preciosismo... quase nem se nota, sobretudo porque o Rodrigo nunca está quieto!). Cosi os lados com costuras inglesas, o meu acabamento preferido.

3. O tamanho
Fiz o tamanho 3 anos para o Rodrigo, que vai fazer 3 anos daqui a um mês. Fica-lhe impecável, mesmo à medida.

4. O tecido
Reutilizei uma camisa fil-à-fil do meu pai, daí o tecido ter sido tão à conta! Era uma camisa clássica para usar com gravata, mas o colarinho já estava muito esgarçado e acho que já tinha sido virado uma vez. Como sabem, farto-me de aproveitar camisas de homem para tudo e mais alguma coisa, e o tecido desta era tão bom que tinha mesmo de ser utilizado para algo especial. Estas são as minhas reciclagens preferidas: aquelas em que se consegue tirar o máximo partido da peça original, mas o resultado não fica com ar de reaproveitamento. Os botões madrepérola vieram de outra camisa.

5. Notas finais
Devo confessar que hesitei um bocado antes de comprar este molde, porque aquela costura a meio ali à frente não me convencia... Percebo a razão porque ela existe: é uma maneira fácil de fazer uma carcela até meio, para dar à camisa um ar de túnica — e eu, como costureira autodidata e com pouco traquejo nesta arte da confecção, agradeço a intenção. Mas, como o molde ficou em saldos antes do Natal, resolvi arriscar. Ainda bem que o fiz! Gosto imenso do resultado, acho que a costura nem se nota e fartei-me de aprender com as instruções. Agora quero fazer uma versão de Outono com mangas curtas e capuz.


I'm really happy with this summer shirt I made for Rodrigo. It turned out great: cool, comfortable and not too dressy but not too casual either. He approves!

1. The pattern
Mulberry Tunic by Olga from the blog Kid Approved. This pattern offers a few variations: short or long sleeves, pockets and a hood. It's a digital pattern (which means that you get a PDF file on your email inbox) and it's sized from 18 months to 12 years.

2. My version
I made the version that used up less fabric (more on that later): short sleeves, no pockets and no hood. I made the sleeve tabs 1'' shorter than the original ones and I was really pleased with the fold on the sleeves, it's really clever. I didn't manage to cut the tape for the collar on the bias because I didn't have enough fabric — I was forced to cut it in a funny angle somewhere between 45º and 90º, and that's why it doesn't lay completely flat (but since Rodrigo never sits still, you'll never notice it). I used French seams for the sides of the shirt.

3. The size
I made a size 3 for Rodrigo, who's turning 3 next month. The fit is perfect.

4. The fabric
I upcycled a fil-a-fil shirt that used to belong to my father. It was one of those classic shirts to wear with a tie but the collar was getting old and I think it had already been turned once. As you know, I love breathing new life into old clothes and this shirt's fabric was really high quality, so I had to use it to make something special. This is my favourite kind of recycling: where you're able to make the most of the original piece but the result doesn't look like "making do". The shell buttons came from another shirt.

5. Final notes
I confess that I hesitated a bit before buying this pattern because of that front horizontal seam. I guess I know why it's there: it makes the whole job of sewing the half placket a lot easier — and I, as a self-taught sewer and a beginner in the art of dressmaking, undoubtedly appreciate the intention. But when the pattern went on sale before Christmas, I decided to give it a go. Well, I'm glad I did! I love how the tunic turned out, the aforementioned seam doesn't bother me at all and I learned a lot from Olga's instructions. Now I want to make an autumn version with long sleeves and a hood.

(photos: © Constança Cabral)

07 January 2015

Macaquinho de Verão :: Summer Romper






O Verão finalmente chegou à Nova Zelândia e eu quero aproveitar todos os momentos! A chegada do calor foi a desculpa perfeita para fazer um macaquinho para o Pedro. Apesar de o Pedro ter herdado toda a roupa do Rodrigo e não precisar de muita roupa nova, estou apostada em fazer-lhe algumas peças enquanto ele é bebé, porque agora sei como este primeiro ano passa depressa. Para além disso, sempre que sigo instruções sinto que aprendo alguma coisa, e isso é divertido e útil!

1. O molde
Style 4137, um molde de 1984 que encontrei numa loja de caridade ao pé de minha casa. Procurei referências a esta marca de moldes na internet mas não encontrei nada. As explicações são características dos moldes mais antigos: relativamente sucintas, a assumir conhecimentos prévios e a pedir acabamentos feitos à mão (não há um único pesponto à máquina neste fatinho). A única alteração que fiz foi acrescentar molas entre as pernas, para ser mais fácil mudar a fralda.

2. O tecido 
Um seersucker (crepon) que comprei no Armazém dos Linhos (uma loja de visita obrigatória no Porto: para além de uma enorme variedade de chitas portuguesas, tem muitos tecidos de confecção). Gosto imenso de ver bebés (rapazes e raparigas) vestidos de cinzento-claro, e nem hesitei quando vi este tecido à venda. O plano era fazer uns calções a condizer para o Rodrigo, mas não comprei tecido suficiente...

3. O tamanho
Estes moldes antigos normalmente só têm um tamanho (ao contrário dos moldes modernos, que incluem vários tamanhos num só envelope). Este tamanho é para 6 meses e fica mesmo à medida do Pedro, que acabou de fazer 5 meses.

4. Notas finais
Gosto muito deste modelo absolutamente intemporal e o molde é bastante bom. Como cá estamos no Verão, visto-o por cima de um body branco de mangas curtas ou de uma camisa, ou sem nada por baixo nos dias de muito calor. Se fosse Inverno, podê-lo-ia ter feito num tecido mais quente (uma fazenda fininha ou uma vaiela), para ser vestido por cima de uma camisola e de uns collants.


Summer is finally here and I intent to make the most of it! The arrival of warmer weather was the perfect excuse to whip up a little romper for Pedro. Even though Pedro has inherited all of Rodrigo's clothes and isn't in need of much else, I really want to sew a few pieces for him because now I know how quickly the first year goes by. In addition to that, every time I follow a pattern I learn something new, and that's fun and useful!

1. The pattern
Style 4137, a pattern from 1984 that I found at a local charity shop. I searched online for information regarding this pattern company but found nothing about it. The instructions are typical of this older patterns, in that they are short, assume a lot of prior knowledge and require hand-finishing (there isn't any topstitching on this romper). The only alteration I made was adding snaps for easier nappy changing.

2. The fabric
Gingham seersucker bought at Armazém dos Linhos (a fabric shop in Porto, Portugal, that mustn't be missed as it's full of traditional Portuguese fabrics and a nice selection of dressmaking materials). I love seeing babies (both boys and girls) dressed in light grey so I snapped up this print as soon as I laid eyes on it. The original plan was to make matching shorts for Rodrigo but unfortunately I didn't buy enough fabric for that...

3. The size
These old patterns usually only come in one size (as opposed to modern sewing patterns that are multisized). This one is for 6 months and it fits Pedro (who's just turned 5 months) perfectly.

4. Final notes
I love this timeless style for babies and this pattern is great. As it's summer right now, Pedro will wear it over a white short-sleeved bodysuit or shirt, or — if it gets really hot — with nothing underneath. If it were winter I would have made it in a thicker fabric (either wool or viyella), to be worn over a wool cardigan and a pair of tights. 

(photos: © Constança Cabral)

04 January 2015

Olá 2015! :: Hello 2015!





Bom ano para todos! Que 2015 nos traga muitas aventuras e momentos cheios de alegria. Cá estão os meus rapazes com as toilettes de ano novo, que só acabei no dia 1 à noite... para a semana escrevo sobre elas. Bom fim-de-semana!

Happy new year, everyone! May 2015 bring us all kinds of adventures and joyful moments. Here are my boys with their new year's outfits, which I only finished sewing on the evening of the 1st... next week I'll tell you all about them. Have a lovely weekend!

(photos: © Constança Cabral)

23 December 2014

Bom Nata!l :: Merry Christmas!



Aqui da Nova Zelândia desejamos um Natal cheio de paz e alegria a todas as pessoas que acompanham este blog. Até breve!

PS. Há uma entrevista de Natal comigo no The Close Up — podem lê-la aqui.

From New Zealand we wish everyone who reads this blog a Christmas filled with joy and peace. See you soon!

(video: © Constança Cabral)

22 December 2014

Mesa de Natal :: Christmas Table







Ontem foi o solstício de Verão aqui no hemisfério sul. Visto que passamos o Natal no Verão, resolvi decorar a nossa mesa em conformidade com a época do ano. Este ano ainda não fomos à praia (tem chovido quase todos os dias) mas, quando em Fevereiro passado estivemos no Coromandel, trouxe um saco cheio de tesouros marinhos já a pensar na decoração do Natal de 2014.

A toalha é um lençol de linho grosso (com um monograma bordado a ponto de cruz encarnado!) que veio de casa do meu avô. No meio da mesa coloquei uma tira de serapilheira: limitei-me a cortar  uma tira com dois palmos no sentido da largura do tecido, e depois desfiei as bordas. Fiz três arranjos com flores, folhas e ervas aromáticas do nosso jardim e, em seguida, distribuí conchas, búzios, pinhas, pedras-pomes, esta espécie de pompons/ouriços de palha (que também encontrei na praia) e mais folhas do jardim. Terminei a decoração com uns quantos guizos de Natal em branco. Por fim, pus a mesa com o nosso serviço bom e com o faqueiro de todos os dias. Mas esqueci-me dos copos...!


Yesterday was Midsummer in the Southern Hemisphere. Since we celebrate Christmas during summertime, I've decided to decorate our table in conformity with the season. This year we haven't been to the beach yet (it's been raining almost every day) but when we were in the Coromandel in February I collected a bag full of beach treasures, already thinking ahead about Christmas decorations.

The tablecloth is an old linen sheet (with a cross-stitched red monogram!) that I inherited from my  late grandfather. Across the table I placed a table runner I made by simply cutting a strip of hessian (burlap) and unraveling the long edges of the material. I whipped up three small flower arrangements with things I cut from my garden: some flowers, a few seed pods, variegated foliage and a generous amount of rosemary. Then I distributed the maritime elements: shells, conches, pinecones, pumice and these amazing straw pompoms. I added in a bit of foliage to keep things fresh. I brought some Christmas cheer to the table by scattering a few white rattles amongst the beachy objects. Finally I laid the table with my "special" dinner set and our everyday flatware. But I seem to have ignored the glasses...!

(photos: © Constança Cabral)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...